Glossário


Escolha a primeira letra do termo que você quer consultar


  • Bacia Faminta
    Bacia onde a taxa de subsidência é maior que a de sedimentação (acumulação vertical), geralmente dando origem, no intervalo de tempo em que ela se comporta como tal, a uma maior espessura de depósitos em sua borda do que em seu centro

  • Bacia Sedimentar
    a) é uma área deprimida da crosta terrestre, de origem tectônica, na qual acumularam-se sedimentos.

    b) área na qual acumularam-se sedimentos em espessura consideravelmente maior que nas regiões adjacentes.

    c) entidade geológica que se refere ao conjunto de rochas sedimentares que guardam relação geométrica e/ou histórica mútua, cuja superfície hoje não necessariamente se comporta como uma bacia de sedimentação. Sua origem está ligada à cinemática da tectônica de placas. A maioria das bacias são formadas em regime extensional ou compressional . As bacias marginais e as transtensionais são do tipo extensional, enquanto o contexto compressional inclui as bacias foreland e as transpressionais. Existe ainda as bacias intracratônicas cuja origem é controvertida.

  • Bacia Pull-Apart
    a) uso recomendado: bacia formada por estiramento crustal em uma deflexão distensiva ao longo de zonas de falhas transcorrentes. Sin.: Gráben Rômbico, Bacia Transtensional.

    b) uso não recomendado: qualquer bacia resultante de distensão crustal.

  • Baixo
    Segmentos(s) crustal(ais) tal(is) como bacias, sub-bacias, sinclinais e sinéclises, de movimentação mais acelerada em áreas subsidentes.

  • Balanceamento de Seção Geológica
    Técnica de restauração ao estado não deformado original de uma seção (corte/perfil) geológica. É aplicável a segmentos crustais que se supõe tenham sofrido compressão ou distensão sob regime de deformação plana. É imprescindível que a seção processada tenha a mesma escala vertical e horizontal, que suas áreas inicial e final sejam as mesmas e que, ao término do trabalho, não lhe resultem vazios e/ou superposições de camadas. Trata-se de uma técnica que visa, através da integração das partes segmentadas de camadas ou, ainda, de áreas entre camadas, avaliar a possibilidade geométrica de uma determinada interpretação estrutural. A rigor, o resultado do balanceamento não se constitui necessariamente em verdade geológica pretérita.

  • Balanço Hídrico
    Balanço das entradas e saídas de água no interior de uma região hidrológica bem definida (uma bacia, um lago, etc), levando em conta as variações efetivas de acumulação.

  • Bar
    Unidade de pressão, igual à pressão atmosférica terrestre ao nível do mar; 1 bar = 0.987 atmosferas = 101,300 pascals = 14.5 libras/polegada quadrada = 100,000 Newtons por metro quadrado.

  • Basalto
    termo genérico que designa rochas ígneas básicas, de cor escura, compostas de minerais que são relativamente ricos em ferro e magnésio. Riólito é o equivalente ácido do basalto.

  • Baselap
    Termo utilizado em sismoestratigrafia, referindo-se, genericamente, ao limite inferior de uma seqüência deposicional, quando este configura-se em terminação sucessiva de estratos contra uma superfície discordante basal.

  • Batólito
    Grandes corpos de rochas plutônicas contínuas em profundidade, não possuindo, assim, um embasamento. Em geral o termo é conferido às massas eruptivas subjacentes, com superfície maior que 100 quilômetros quadrados.

  • Beneficiamento
    Melhoramento das propriedades químicas ou físicas de um minério, para que o seu metal possa ser aproveitado economicamente (Parker, 1989, p. 203)

  • b (Beta)
    Fator que quantifica o estiramento crustal em zonas distensionais. Para cada segmento crustal, o valor do seu comprimento original, na direção de estiramento, é considerado unitário; o beta, cujo valor é necessariamente maior do que 1, refere-se ao comprimento de um determinado segmento medido após o seu estiramento.

  • Binário de Cisalhamento
    Estado de tensões que se associa ao movimento relativo de blocos crustais em direção paralela ao plano de contato entre eles, deformando as rochas por cisalhamento simples. O binário deriva do movimento fundamental ao longo de zonas transcorrentes.

  • Biodegradação ou Biodegradabilidade
    1) Decomposição por processos biológicos naturais.

    2) Processo de decomposição química, como resultado da ação de microorganismos.

    3) Destruição ou mineralização de matéria orgânica natural ou sintética por microorganismos existentes no solo, na água ou em sistema de tratamento de água residuária.

  • Biodiversidade
    Representa o conjunto de espécies animais e vegetais viventes.

  • Bioma
    1) Grandes unidades ecológicas definidas por fatores ambientais, tais como plantas e animais que as compõem.

    2) Grandes espaços vitais, com ambiente determinado, mesmo tipo de clima e vegetação e fauna bem características.

  • Biota
    Conjunto de seres vivos que habitam um determinado ambiente ecológico, em estreita correspondência com as características físicas, químicas e biológicas deste ambiente.

  • Bloco (Tectônico)
    Entidade crustal limitada por falhas, total ou parcialmente; comporta-se unitariamente durante a atividade tectônica.

  • Bomba
    Dispositivo mecânico para deslocar, elevar ou recalcar água ou outros fluidos (ABID, 1978)

  • Brecha
    Rocha clástica de granulação grosseira constituída de fragmentos angulares de rocha (maiores que 2 mm.), cimentados por matriz de granulação mais fina de natureza igual ou diversa dos fragmentos maiores. Pode ser formada por sedimentação (brecha sedimentar), atividade ígnea (brecha ígnea, brecha eruptiva, brecha vulcânica) ou pela ação de falhamentos (brecha de falha, brecha tectônica, brecha cataclástica, cataclasito).

  • Brecha Cárstica
    Brecha formada pelo colapso do teto de cavernas, em região de drenagem subsuperficial ativa, o que dá origem à formação de massas de clastos grosseiros, angulosos, cimentados posteriormente.

    topo